Centro de

Informações

Turisticas

de Glicério

Tel (22)

2793-4096

 

 

 

Cachoeiros de Macaé

Criado em 1892, o distrito de Cachoeiros de Macaé foi desmembrado da Freguesia de Nossa Senhora das Neves, com sede em Várzea Alta, constituindo na ocasião o 7º distrito de Macaé.

“Cachoeiros de Macaé, vira e mexe mudava de gênero, transformando em Cachoeiras simplesmente ou mesmo Cachoeiros, quando não lhe alteravam o grau: Cachoeiro ou Cachoeira. Durante algum tempo, na Segunda década deste século, foi ainda, Vargem Alta.” ( A. A PARADA, 1995 )

Independente do nome, Cachoeiros de Macaé foi, em sua fase áurea, o celeiro de Macaé. Na década de 20, era líder no município, não só na produção de café, como também na de milho, arroz e feijão. Contendo na época a maior população da região e concentrando o maior número de propriedades rurais, Cachoeiros de Macaé era um rico distrito, e possuía um comércio intenso e forte. Possuía a maior usina de beneficiamento de café do município, localizada às margens da estrada de acesso à Areia Branca, de propriedade de José Euphrásio, onde se pilava toda a produção local e dos arredores. Sua grande torre perdura até hoje, como marco histórico e arquitetônico da grandeza de outrora, conhecida como o torreão. Somava com Glicério as áreas mais evoluídas, superando Neves, então em decadência.
Servido pelo Rio Macaé, que corta toda a sua extensão, transportava toda a sua produção em lombo de burro, através das tradicionais tropas, até o ancoradouro das pranchas, localizado abaixo da Ponte da Figueira. A partir daí, as pranchas desciam o Rio Macaé até chegarem ao Porto da Farrula, em Macaé. De acordo com os mais antigos, algumas levavam os nomes de : Piaba, Itatiaia, Boa Sorte, Alice, Cobra Verde e Itaúna.
A partir da crise do Café, a região sofre um grande baque em sua economia. Muitos fazendeiros tem de entregar suas terras por conta de dívidas; outros sobrevivem humildemente, apenas com as lembranças do passado próspero.

Hoje, o distrito de Cachoeiros de Macaé possui a menor concentração populacional da região, e uma economia concentrada na pecuária. Entretanto, o distrito apresenta uma grande fatia da mata atlântica relativamente preservada, vários patrimônios naturais e um Parque Municipal. Além disso, apresenta um patrimônio histórico em forma de ruínas, como testemunho de seus anos de glória, que vem aumentando através de novas descobertas, e que podem ser exploradas através do turismo histórico.


Agradecimentos a Artemio Macedo por ceder estas informaçoes Históricas da Região.